Whatsapp
(11) 2112.6222

Existem diferentes tipos de procedimentos direcionados para as mamas: aumento, redução, reposicionamento e reconstrução. Cada um deles faz diferença no contorno corporal feminino, seja no quesito estético ou funcional.

Neste texto abordarei a Mamoplastia de Aumento e a Mamoplastia Redutora.

Mamoplastia de Aumento – Conhecendo as possibilidades

A Mamoplastia de Aumento possibilita o aumento do volume das mamas por meio de implantes, geralmente de silicone.

O que são os implantes de Silicone?

Os implantes de Silicone são preenchidos com gel coesivo e tem a textura semelhante ao tecido natural da mama. Caso eles se rompam, o gel permanece no interior do invólucro e sua ruptura não diminui a mama.

Como escolher o formato e tamanho certo?

A escolha dos dois fatores dependerá diretamente do objetivo e estrutura física da paciente.

A forma dos implantes pode ser em gota (um pouco mais natural) ou redonda (um pouco mais artificial). A grande vantagem da prótese redonda é a segurança, pois a gota tem maiores chances de entortar.

O perfil da prótese pode ser alto, médio ou baixo. Quanto mais alto o perfil, mais artificiais e elevadas ficam as mamas.

O tamanho da prótese precisa ser proporcional à altura e biotipo da mulher. Geralmente são utilizadas próteses com 200 a 300 ml.

Como é a recuperação da Mamoplastia de Aumento?

Após a cirurgia serão colocados drenos para eliminação do sangue acumulado na região e os mesmos são retirados, geralmente, após 2 dias.

O pós-operatório pode causar certo desconforto nos primeiros dias, o qual é amenizado através de remédios. É possível voltar às atividades normais em 3 semanas e a recuperação total se dá a partir de 1 mês.

Mamoplastia Redutora – Indo além da estética

A Mamoplastia Redutora é direcionada às pacientes que sofrem com o tamanho exacerbado das mamas, indo além de um incômodo comum, pois a condição pode causar dores na coluna e complicações futuras.

Como o procedimento é realizado?

São realizadas incisões para remover o excesso de gordura, tecido glandular e pele. Em casos específicos, a Lipoaspiração pode ser realizada em conjunto, visando remover o excesso de gordura.

A técnica escolhida dependerá de fatores como particularidades anatômicas, composição da mama, quantidade de redução desejada, gosto pessoal e preferência do cirurgião.

Pós-operatório: o que preciso saber?

É comum surgir inchaço e roxidão, que vão sumindo ao decorrer dos dias.

Alguns cuidados especiais serão necessários, como:

  • Evitar erguer os braços, ou fazer muitos movimentos
  • Dormir de barriga para cima no primeiro mês
  • Usar um sutiã pós-operatório indicado pelo especialista.

Além de cuidados essenciais como evitar exposição solar e tomar os remédios prescritos corretamente.

O resultado final se dá em torno de 3 meses.

Escolhendo bem o especialista

É sempre válido ressaltar a importância de escolher um especialista registrado na Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, além de pesquisar experiências anteriores no procedimento desejado e conversar com alguém que já o conheça. Preze pela pesquisa detalhada!

Ficou alguma dúvida? Deixe seu comentário.